Observatório

protestos, levantes e movimentos de dissenso

23 November, 2011 22:46

Ana Carolina de Medeiros

Em tempos de retomada da discussão da questão Palestina o documentário Brudus da cineasta Júlia Bacha, à venda em livrarias pelo Brasil, se mostra uma grande inspiração. O documentário é sobre a história de um vilarejo, chamado Brudus, que será fragmentado pela construção do Muro da Cisjordânia, no ano de 2002. Esse muro, chamado de cerca da Segurança pelos Israelenses e de Muro do Apartheid pelos palestinos, paralisa o vilarejo e motiva uma série de manifestações pacíficas que unem não somente as diferentes facções palestinas como Hamas e Fatah, mas também o suposto inimigo: os israelenses. Um dos méritos do filme é trazer a questão da percepção do outro e da possível desconstrução de esteriótipos, como quando uma manifestante palestina afirma que percebeu que os israelenses não são todos soldados e pessoas más, que na verdade ela pode até ser amiga de uma israelense. Essas manifestações pacíficas alcançam seus objetivos e o traçado do muro é deslocado evitando a partilha do vilarejo

Esse filme ao mostrar a união entre israelenses e palestinos e a possibilidade de vitória da luta pacífica permite questionar aqueles argumentos tão contrários a possibilidade de criação de um Estado palestino de uma forma viável, que não resulte em caos. Claro que a questão envolve anos de disputas e de desentendimento por ambos os lados, mas a negação da tentativa da solução do problema é vergonhosa. Já são anos de falhas e silêncios, os tratados de Oslo ( 93 e 95) não foram plenamente cumpridos e a OLP não conseguiu proclamar o nascimento do Estado da Palestina em 1999, final do período provisório de autonomia de Gaza e da Cisjordânia afirmada por tais acordos. No ano de 2003 o Quarteto ( Estados Unidos, União Européia, Rússia e ONU) publicou um roteiro que previa a criação de um Estado palestino antes do final do ano de 2005, esse prazo foi postergado até 2008. No ano de 2010 Barack Obama declarou na Assembléia Geral da ONU que no ano seguinte esperava ver a palestina como integrante da organização, entretanto nesse ano Obama opôs seu voto a essa admissão.

Os palestinos tomaram vários caminhos para reivindicar um Estado, pela luta armada nos primeiros anos de existência da OLP até a confirmação da via diplomática no ano de 1988 com o famoso discurso de Arafat na Assembléia Geral da ONU, através da tentativa da mudança de liderança expressa na vitória do Hamas no parlamento em 2006, além da tentativa de se dirigir diretamente a ONU com a sua proposta para a criação de um Estado palestino em setembro desse ano. O documentário Brudus talvez não possibilite trazer claras linhas de resolução para o conflito e sobre a questão palestina, mas traz esperança para a continuidade da luta de forma pacífica.

Trailer do filme Brudus;

demais informações retirada do artigo do jornalista Alain Gresh publicado na versão impressa do Le Monde Diplomatique Brasil em outubro de 2011.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on Novembro 23, 2011 by in Geral.

Navegação

%d bloggers like this: